A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Augustinópolis, Delegacia Especializada em Investigações Criminais (DEIC/Palmas) e Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE), com apoio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC) do Maranhão, realizou a prisão de mais três integrantes da organização criminosa que arquitetou a tentativa de furto à agência do Banco do Brasil no Município de Augustinópolis (TO) no último domingo.

Após a autoridade policial plantonista, Delegado Jacson Wutke, receber a proposta de vantagem indevida no importe de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) por parte do chefe da organização, VALDEMIR GOMES DE LIMA, a Polícia Civil, com o aval da respeitável 1ª Promotoria de Justiça (TO) e do egrégio Juízo da Vara Criminal da Comarca de Augustinópolis (TO), deu início à ação controlada para possibilitar o monitoramento do levantamento dos valores e localização dos envolvidos que teriam conseguido lograr êxito na fuga.

Dando prosseguimento às investigações, a Polícia Civil verificou que a intenção da organização criminosa era realizar um furto em outra agência bancária para levantar os valores necessários ao pagamento da suposta vantagem indevida. Inclusive, a agência bancária alvo da ação já estaria sendo objeto de levantamentos anteriores da organização criminosa.

Com base no resultado do serviço de inteligência, por meio da “OPERAÇÃO SUBORNO” foi possível localizar e realizar na data de hoje a prisão dos demais envolvidos na tentativa de furto à agência do Banco do Brasil em Augustinópolis (TO), sendo eles DAVID

SANTOS SILVA, 35 anos, natural de Imperatriz/MA; ORIVALDO DA COSTA NAZARIO, vulgo “Magrelo”, 32 anos, natural de Cuiabá/MT; WELLEY HERNANDES DO CARMO, vulgo “Negão”, 29 anos, natural de Cuiabá/MT.

De acordo com as informações reunidas, a organização criminosa possui ramificações em todos os estados do norte e nordeste, sendo responsável por vários furtos em agências bancárias daquelas regiões. Há informações concretas, ainda, de que a organização criminosa possui ligação com a facção Comando Vermelho.

A Polícia Civil ressalta que a honra, a integridade, a honestidade, a dignidade, a ética e o compromisso com a sociedade mantido por todos os seus integrantes, homens e mulheres de fibra, não se encontra à venda. Enquanto vivos estivermos, continuaremos até o último suspiro, honrados e íntegros, defendendo os interesses da nossa população.

Com informações, Portal Atitude