Resultado foi confirmado pelo TSE às 18h38, quando o candidato chegou a 57% dos votos válidos com 93% das urnas apuradas. Ele acompanhou a contagem em Gurupi.

O atual governador do Tocantins, Mauro Carlesse (PHS), está oficialmente reeleito em primeiro turno. O resultado foi confirmado pelo TSE neste domingo (7), quando o candidato chegou a 57% dos votos válidos com 93% das urnas apuradas. Carlesse está em Gurupi, de onde acompanha a contagem dos votos. Veja aqui a apuração completa.

O político de 58 anos era presidente da Assembleia Legislativa do estado até março e assumiu o governo do estado interinamente após o Tribunal Superior Eleitoral cassar os mandatos de Marcelo Miranda (MDB) e Cláudia Lelis (PV) dos cargos de governador e vice.

Ele concorreu na Eleição Suplementar e foi escolhido para continuar no cargo até o fim do ano. Voltou a se candidatar para as eleições gerais e agora deve seguir no comando do executivo estadual pelos próximos quatro anos.

O candidato derrotou os candidatos Carlos Amastha (PSB), Marlon Reis (Rede), César Simoni (PSL) e Bernadete Aparecida (PSOL).

Perfil

Carlesse nasceu em Terra Boa (PR) e no Tocantins atuou como empresário e agropecuarista. Ele iniciou na política ao se filiar no Partido Verde (PV) em 2011. Foi candidato a prefeito em Gurupi nas eleições de 2012. No ano seguinte, filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e venceu as eleições de 2014 para deputado estadual.

Foi eleito em julho de 2016 e assumiu o cargo de presidente da Assembleia Legislativa para o biênio 2017/2019.

Em 2015, Carlesse se envolveu em uma polêmica ao ser preso no departamento de assessoria militar da Assembleia Legislativa, em Palmas. A prisão foi decretada por causa de um processo de execução de pagamento de pensão alimentícia contra o parlamentar, que corre na comarca de Barueri (SP). Na época, o advogado do parlamentar, Sandro Henrique Armando, disse que houve uma divergência nos valores defendidos pelas partes.

Principais propostas

O plano de governo de Carlesse é focado no equilíbrio fiscal das contas do governo e em propiciar investimentos que possam gerar benefícios. As medidas incluem a redução sistemática no número de servidores contratados e nomeados, contenção de despesas gerais da máquina pública e renegociação de débitos.

Ele prometeu ainda a revisão de todos os contratos em andamento e uma gestão voltada aos municípios. Na área de educação, a ideia é que o modelo da escola de tempo integral se torne uma política estadual. Para a segurança pública, o enfoque é na área de tecnologia e de informação e também na humanização dos presídios e centros de recuperação.