Infrações mais comuns são furtos, roubos e tráfico de drogas. Crimes contabilizadas foram cometidas em Palmas, Araguaína e Gurupi entre janeiro e outubro.

Mais de 400 crimes atendidos pela Polícia Militar (PM) neste ano tem algum adolescente envolvido. As infrações contabilizadas foram cometidas entre janeiro e outubro e registradas em Palmas, Gurupi, no sul do estado e em Araguaína, na região norte do Tocantins.

Segundo a PM, em todos os casos os jovens foram apreendidos ou abordados em situação de flagrante. Os crimes mais comuns são furtos, roubos e tráfico de drogas, mas também há registros de crimes mais graves.

Um dos suspeitos de matar o comerciante Manoel Pereira Alves, de 63 anos, durante um assalto a uma merecearia no setor Aureny III, tem 17 anos. Ele foi apreendido pela Polícia Militar momentos depois do crime.

Ainda nesse mês, uma adolescente de 16 anos confessou ter matado Gislane Mendes Araújo a facadas em Lagoa da Confusão. A menina já tinha outras passagens pela polícia e foi apreendida.

Atualmente, 133 menores cumprem medidas socioeducativas em nove unidades do Tocantins. A quantidade de adolescentes na criminalidade tem preocupado a policia. O capitão da PM, Gleidison Carvalho comenta a situação. “Nós percebemos que há um fator motivador que faz com que esse adolescente continue”, disse.

O doutor em direito, Tarsis Barreto, acredita que a aplicação de leis mais duras para menores infratores não resolverá o problema da inserção deles na criminalidade. “Nós percebemos uma ausência de políticas públicas efetivas em todo país que promovam a inclusão social desses jovens. Muitos deles acabam sendo atraídos para a criminalidade”, disse.

O promotor Konrad Wimmer, diz que as medidas seriam mais eficientes se existissem análises dos perfís biológicos e psicológicos dos adolescetes.